Os cristãos ex-muçulmanos na Península Arábica sabem o que é viver isolados de irmãos e irmãs na fé.

Em tempos de quarentena, a igreja ao redor do mundo, que não enfrenta a perseguição, pode aprender com eles como se manter firme em Cristo.

A Portas Abertas contou a história de Nagi*, que teve uma experiência com Jesus enquanto estava fazendo as orações em uma mesquita.

Mas, foi depois de 10 anos, que ele realmente entendeu que Jesus era tudo o que ele precisava para ter uma vida plena.

Por meio de um ministério virtual, ele encontrou outros cristãos da cidade onde mora e cresceu no conhecimento do evangelho.

Tamer* é um cristão que trabalha para conectar os cristãos da Península Arábica via internet.

Ele reconhece que um recém-convertido muitas vezes teme a hostilidade da família, por isso, mantém a nova fé em segredo.

Porém, o isolamento às vezes motiva os cristãos ex-muçulmanos a evangelizar, já que anseiam ter pessoas para compartilhar a nova vida em Cristo.

Isso aconteceu com Ibrahim*, que passou a falar de Jesus para os familiares.

Logo no início da sua caminhada cristã, ele foi aconselhado pelo discipulador: “Se você quer conhecer outros cristãos perto de você, então pregue o evangelho.

Você os encontrará quando chegarem à Jesus.

Se você quer fazer parte de uma igreja, comece esta comunidade”.

Ibrahim continuou a crescer na fé durante o discipulado e aprendeu que ser discípulo de Jesus é mais do que apenas crer em Jesus.

“O discipulador me levou do ponto de me arrepender e acreditar, a compartilhar o evangelho com aqueles que estavam ao meu redor.

Essa se tornou minha missão.

Depois que comecei a compartilhar minha fé com outras pessoas, o cristão me apresentou a outro irmão que morava nas proximidades, que assumiu o papel de me orientar em minha fé amadurecida”, esclarece Ibrahim.

Salem* também encontrou Jesus por meio da tecnologia, ele acompanhava um programa de tv e um dia resolveu entregar a vida dele a Cristo.

Depois, o cristão ex-muçulmano fez o contato com os produtores do canal e passou a ser acompanhado virtualmente.

Mais tarde, ele foi apresentado a outros irmãos da região onde vivia.

Em todos os casos, a criatividade é uma aliada para cristãos que desejam manter a comunhão e crescer na fé, para isso, utilizam vários meios, como programas de rádio, transmissões de TV e campanhas em mídia social.

“Incentivamos as famílias perseguidas e as aconselhamos sobre como viver com sabedoria em nossa sociedade hostil”, finaliza Tamer.

Cristãos isolados por causa do Coronavírus precisam de ajudaPara apoiar cristãos perseguidos durante a pandemia de Coronavírus, a Portas Abertas criou a Campanha Emergencial Covid-19, que ajuda os cristãos perseguidos a passarem por este momento de dupla vulnerabilidade, em que eles são perseguidos por seguirem a Jesus e ainda não recebem apoio de governos ou mesmo de suas próprias famílias durante a pandemia.

Acesse o link e veja como ajudá-los.

*Nomes alterados por motivo de segurança