Alerta foi feito por um produtor da cidade de Salta, no país vizinho.

Ainda não se sabe o tamanho dessa nuvem.

Senasa faz alerta para a província de Chaco para possível deslocamento da praga nos próximos dias Divulgação/Senasa O Serviço Nacional de Saúde e Qualidade Agroalimentar (Senasa, na sigla em espanhol), uma agência do governo argentino, foi informada sobre uma quarta nuvem de gafanhotos em Salta, na Argentina.

Segundo o órgão, o alerta foi feito por um produtor na sexta-feira (31).

[Veja o vídeo abaixo]. "Senasa ainda não a viu.

Mas eles nos enviaram um vídeo.

Oficialmente já anunciamos que existem quatro [nuvens de gafanhotos]", afirmou, ao G1, o engenheiro agrônomo e chefe do Programa Nacional de Gafanhotos do Senasa, Hector Emilio Medina. O governo argentino ainda não tem informações sobre o tamanho dessa quarta nuvem.

Uma equipe do Senasa deve ir até o local para verificar a presença das pragas. Initial plugin text Pesquisadores da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) têm apresentado simulações e estimativas da trajetória das nuvens de gafanhotos, que estão se deslocando pelo Paraguai e Argentina desde maio.

A instituição já havia informado, na sexta, que quatro nuvens de gafanhotos foram localizadas na América do Sul até o momento. Conforme a UFPel, a primeira nuvem, já acompanhada pela pesquisa, foi localizada em maio, vinda do Paraguai para a Argentina e foi praticamente exterminada na última semana em Federación, divisa da Argentina com o Uruguai.

O município de Federación fica a aproximadamente 90 km, em linha reta, de Barra do Quaraí, cidade da Fronteira do Rio Grande do Sul.

Segundo o governo argentino, a aplicação de inseticida eliminou 80% da nuvem de gafanhotos. Governo argentino diz ter reduzido em 80% a nuvem de gafanhotos.

Senasa/Argentina A segunda nuvem de gafanhotos foi localizada no Paraguai, em 16 de julho, na província del Chaco, e se encontra atualmente em El Pintado.

Simulações para esta nuvem foram apresentadas pelos pesquisadores no dia 22 de julho, quando a nuvem estava em General Güemes.

Ma,s com a chegada do frio, a nuvem se manteve sem grandes deslocamentos desde então.

Novas simulações são apresentadas.

[Veja abaixo]. A terceira nuvem foi localizada pelo governo da Argentina em 21 de julho, e se encontra em Ingeniero Juárez, província de Formosa, na Argentina.

A UFPel disse que passou a monitorar esta nuvem e as primeiras simulações são apresentadas.

[Veja abaixo]. Simulações da trajetória O modelo WRF foi utilizado para fazer a previsão dos campos de vento, inicializada na quinta-feira (30) até segunda (3).

Segundo a UFPel, os deslocamentos da nuvem são determinados em 80% dos casos pela direção do vento, e temperaturas acima de 20°C favorecem o voo dos insetos.

Segunda nuvem Esta espécie pode viajar até 150 km/dia, mas desde o início desta pesquisa, tem apresentado um deslocamento que varia entre aproximadamente 40 e 80 km/dia. Estimativa de 3 possíveis trajetórias: Num primeiro cenário, supõe-se que a nuvem viaje aproximadamente 30 km/dia - Se esta previsão se confirmar, no domingo (2), estima-se que a nuvem fique próxima a cidade de Misión Nueva Pompeya, província del Chaco na Argentina, em torno de 620 km (em linha reta) da cidade de Itaqui (RS) Num segundo cenário, 60 km/dia - Se esta previsão se confirmar, no domingo (2), estima-se que a nuvem poderá atingir a região próxima à divisa das províncias del Chaco e Santiago del Estero, à aproximadamente 60 km da cidade de Miraflores, Argentina.

O ponto fica a aproximadamente 610 km (em linha reta) da cidade de São Borja (RS). Num terceiro cenário, 100 km/dia - Se esta previsão se confirmar, no domingo (2), estima-se que a nuvem poderá atingir a região entre as cidades de Los Frentones (Província del Chaco) e Sachayoj (Província de Santiago del Estero), na Argentina.

O ponto fica a aproximadamente 600 km (em linha reta) da cidade de São Borja (RS). Terceira nuvem Estimativa de 3 possíveis trajetórias: Nuvem se desloca aproximadamente 30 km/dia - Se esta previsão se confirmar, no domingo (2), estima-se que a nuvem fique próxima a cidade de Santa Rita, província del Chaco na Argentina, em torno de 750 km (em linha reta) da cidade de São Borja (RS). Nuvem se desloca aproximadamente 60 km/dia - Se esta previsão se confirmar, no domingo (2), estima-se que a nuvem poderá atingir a região próxima à cidade de Fuerte Esperanza, província del Chaco na Argentina, a aproximadamente 710 km (em linha reta) da cidade de São Borja. Nuvem se desloca aproximadamente 100 km/dia - Se esta previsão se confirmar, no domingo 2/8, estima-se que a nuvem poderá atingir a região próxima à cidade de El Cabure, província de Santiago del Estero, Argentina.

O ponto fica a aproximadamente 680 km (em linha reta) da cidade de São Borja. Argentina consegue eliminar 80% da nuvem de gafanhotos